Praca-Relogio_84-20_fOTO-Cecilia-Bastos_USP-Imagem-03.jpg

Praça do Relógio - 10.12.2020 - foto: Cecília Bastos/USP Imagens

Os servidores estão há cerca de oito anos sem progressão em suas carreiras e enfrentando perdas salariais. Embora essa defasagem possa ser atribuída às dificuldades financeiras dos últimos tempos, houve uma desqualificação do trabalho dos servidores. A permanência desta situação não pode ser admitida e deve ser superada, por ser injusta e por ameaçar a excelência nos serviços prestados pela Universidade.

Os servidores devem ser valorizados nas suas atividades, criando mecanismos de comunicação com a administração para que suas contribuições possam ser incorporadas pela Universidade. 

Ações administrativas devem ser incorporadas na rotina dos servidores, com maior autonomia e responsabilidade. Não é desejável que algumas ações administrativas sejam restritas a docentes, desconsiderando a qualificação dos servidores.

O sentimento de pertencimento dos servidores à Universidade é fundamental para seu aperfeiçoamento.

 

NOSSOS COMPROMISSOS

  1. Executar processo de avaliação e progressão na carreira dos servidores técnicos e administrativos que avalie todas as atividades exercidas, além das atividades de liderança e administrativas.
     

  2. Garantir a recomposição salarial pelas perdas inflacionárias passadas e futuras.
     

  3. Estruturar programas de apoio à formação e à requalificação funcional em horários coetâneos à jornada normal de trabalho. Deve-se considerar o cenário futuro, no qual se vislumbram modificações profundas da atividade, como por exemplo, o aumento da informatização.
     

  4. Estreitar canais permanentes de diálogo entre a gestão e os representantes dos servidores técnico-administrativos, incluindo atualizações periódicas sobre as atividades-fim da Universidade, permitindo que sugestões sejam incorporadas pela Universidade.
     

  5. Discutir com todos os interessados as novas relações de trabalho surgidas durante a pandemia.