Praca-Relogio_84-20_fOTO-Cecilia-Bastos_USP-Imagem-03.jpg

Praça do Relógio - 10.12.2020 - foto: Cecília Bastos/USP Imagens

A política de contratação de docentes e servidores tem passado por várias mudanças conforme se sucederam diferentes propostas na Reitoria. Nos últimos anos, as modalidades de ingresso docente foram diversificadas e consideraram a existência de projetos de pesquisa, bolsas de jovens pesquisadores Fapesp e bolsas para pesquisadores do exterior da Capes. Além desta política interna, alguns fatores limitantes externos inibiram novas contratações, como foi o caso das portarias governamentais durante a pandemia.

A situação atual é complexa, pois o corpo docente conta com muitos professores situados nas faixas etárias mais maduras e o número de aposentadorias previstas nos próximos anos poderá ameaçar ou mesmo inviabilizar as atividades em algumas Unidades. Felizmente, as condições financeiras da USP permitirão que nos próximos anos possa ocorrer um processo de recomposição de quadros.

A presente proposta afirma a necessidade de debater com a comunidade e o Conselho Universitário os princípios que serão utilizados nos próximos quatro anos, de modo que as Unidades possam realizar o planejamento para as contratações de modo organizado e coordenado. Os princípios deverão levar em conta as perdas ocorridas no passado, dimensionar o desempenho em pesquisa e extensão, considerando as necessidades de ensino em cada área de conhecimento. A partir daí, a gestão da USP deverá compensar regularmente as perdas de poder aquisitivo causadas pela inflação. Não queremos um futuro de corrosão salarial.

Sabemos também que tão importante quanto contratar docentes e técnicos é contratá-los com perfis adequados às necessidades das Unidades, às carreiras e às novas demandas de conhecimento, formação profissional e relações com a sociedade. Esse conjunto de fatores deverá definir o número de contratações, que deverão ser realizadas conforme critérios claros, sustentáveis, responsáveis e democraticamente estabelecidos.

 

NOSSOS COMPROMISSOS

  1. Priorizar, nos próximos quatro anos, a contratação de docentes, visando à recuperação dos níveis históricos.
     

  2. Contratar técnicos de ensino, pesquisa e extensão.
     

  3. Discutir com a CAA e com as Unidades critérios para contratações de docentes e de técnicos, com base nas necessidades e nas especificidades das diferentes Unidades. Esses critérios serão utilizados nos 4 anos da gestão, permitindo previsibilidade e o planejamento das Unidades. Os critérios levarão em conta reposições de perdas e outros baseados nas atividades –fim da Universidade.
     

  4. Formular editais em consonância com as necessidades das Unidades e seus projetos acadêmicos.
     

  5. Adotar mecanismos para reposição de docentes em casos de demissões voluntárias, que não comprometam as finanças na Universidade.