Praca-Relogio_84-20_fOTO-Cecilia-Bastos_USP-Imagem-03.jpg

Praça do Relógio - 10.12.2020 - foto: Cecília Bastos/USP Imagens

A interação da Universidade com a sociedade constitui a essência de sua terceira missão e a fonte de seu impacto mais amplo. Na USP, cultura e extensão estão alinhadas numa mesma Pró-Reitoria, organismo que possui como missão essencial reunir e difundir as atividades-fim da Universidade, conferindo-lhes visibilidade. A PRCEU se distingue, nesse sentido, por ser a área mais abrangente da Universidade, cuja circunscrição não é facilmente definida – nem poderia ser. 


Sem desdobrar o tema da valorização da ciência como resultado da dinâmica da cultura no Ocidente moderno, é forçoso admitir que as demandas contemporâneas de difusão do saber científico e do conhecimento construíram novos e inusitados desafios para as universidades. As políticas de inclusão e as diversas modalidades da extensão são fenômenos da mesma natureza. Isto é, são manifestações particulares do tecido da cultura no mundo atual. Nesses termos, as relações entre cultura, extensão e ações de inclusão são derivações de um mesmo conjunto de problemas que têm obrigado as universidades a buscar respostas, propor medidas que visem equacionar a questão, estando permeadas pelo sentimento da mudança.


Em tal cenário, é fundamental romper a visão empobrecida sobre o enleio cultura-extensão, sob pena de não se entender a centralidade da esfera cultural, no ordenamento, na definição e na condição de existência de nossas sociedades, como se vê na importância adquirida pelas informações sobre a ciência e as medidas sanitárias que hoje grassam nos veículos de comunicação no contexto da pandemia. Para além de assinalar a reconversão da pesquisa em notícia e orientação dos comportamentos, a vida cotidiana está ritmada pelas notícias da área da saúde e conformada pela assimilação do que se julga serem os juízos mais corretos da conduta humana. Em decorrência, fundamental será estabelecer critérios de relevância, tanto para embasar as decisões de mérito específicas à área, quanto para circunscrever prioridades, divulgar e compartilhar os avanços do conhecimento.

 

NOSSOS COMPROMISSOS

1. Definir o escopo e a abrangência das ações de extensão e desenvolver mecanismos para garantir seu registro e monitoramento de forma sistemática e precisa, condição essencial para sua valorização.


2. Aprimorar a definição de métricas capazes de avaliar a dimensão e o impacto das ações de extensão.


3. Valorizar as atividades de extensão nos processos avaliativos institucionais e de progressão na carreira.


4.  Aprimorar o suporte administrativo e financeiro para as atividades de cultura e extensão com a participação da FUSP em todos os campi.