Praca-Relogio_84-20_fOTO-Cecilia-Bastos_USP-Imagem-03.jpg

Praça do Relógio - 10.12.2020 - foto: Cecília Bastos/USP Imagens

A USP tem iniciativas notáveis em prol da inclusão social, tanto na graduação como na pós-graduação, mas precisa avançar, seja na organização e na qualidade do suporte à permanência estudantil, seja na percepção de pertencimento das estudantes e dos estudantes. Esse processo precisa ser acompanhado e ações para o seu aperfeiçoamento devem ser tomadas.

A sociedade brasileira enfrenta os mais diversos desafios no setor das políticas sociais, étnico-raciais e de gênero. A presente proposta visa à criação de políticas internas à Universidade que possam, além de mitigar esses fatores, ser modelos para a sociedade. Vale registrar aqui, como um destaque, que as assimetrias de gênero nas tarefas se acentuaram durante a pandemia. As jornadas de trabalho cumpridas pelas mulheres, jornadas duplas ou triplas que são reconhecidas há décadas, se ampliaram ainda mais neste período. A sobrecarga é ainda mais sentida pelas mães pesquisadoras.

 

NOSSOS COMPROMISSOS

1. Por meio da criação de uma nova Pró-reitoria, já citada aqui, que deverá coordenar, centralizar e apoiar  políticas inclusivas sociais, étnico-raciais e de gênero para toda comunidade uspiana, com ações referentes à permanência estudantil, moradia, saúde, acreditamos que teremos condições reforçadas para vencer essa ordem de adversidades.

2. Efetuar matrícula automática no processo seletivo da Fuvest para todos os estudantes que finalizam o ensino médio público no Estado de São Paulo, tornando-o uma real opção para o acesso destes alunos à melhor universidade brasileira. 

3. Acompanhar de forma perene e sistemática o desempenho acadêmico de estudantes, com possibilidades de medidas individuais pontuais e coletivas de apoio, como a criação de disciplinas complementares no currículo.

4. Criação de programas de tutoria em todas as unidades de ensino da USP. 

5. Realizar ações que garantam o sentimento dos estudantes de pertencimento à USP.

6. Constituir uma zeladoria permanente nas moradias da USP, especialmente no CRUSP, com efetiva presença da Universidade na administração da residência estudantil, contando com a gestão participativa dos moradores.

7. Estimular a vivência universitária por meio de ações culturais e implantação nos campide espaços adequados ao convívio.

8. Propor e estabelecer uma política de esportes, valorizando o esporte como atividade acadêmica e garantir recursos para seu desenvolvimento na Universidade.

9.Criar políticas que permitam ampliar a presença de mulheres nas instâncias acadêmicas da Universidade, estimulando a ascensão na carreira e contribuir para aumentar sua participação em colegiados, bancas, eventos científicos e acadêmicos.

10. Implementar bolsas de pós-doutorado com financiamento da USP, incluindo o objetivo de ampliar a participação de mulheres, valorizando as pesquisadoras pertencentes ao grupo PPI.

11. Estabelecer e consolidar políticas de combate ao racismo, à intolerância e à de apoio e proteção da diversidade.

12. Viabilizar a oferta de creches nos campi para filhos de alunos(as), docentes e servidores(as).