Praca-Relogio_84-20_fOTO-Cecilia-Bastos_USP-Imagem-03.jpg

Praça do Relógio - 10.12.2020 - foto: Cecília Bastos/USP Imagens

A gestão precisa ser capaz de dialogar, inspirar e mobilizar a comunidade acadêmica, com foco institucional e ao mesmo tempo com forte preocupação com as pessoas e suas necessidades. Isso adquire ainda mais premência quando consideramos os desafios impostos à sociedade e à Universidade pelo momento atual e pelo quadro que se abrirá após a pandemia. 


A Universidade possui um patrimônio fundamental constituído por seu quadro de docentes, funcionários e alunos. Não podemos mais negligenciar o fato de que o bem-estar da comunidade é condição essencial para a melhor condução da USP. Trata-se de uma questão de grande relevância. A análise objetiva dos nossos problemas não pode mais ser vista como oposta à preocupação com as pessoas. Na USP, o principal dado objetivo é gente. Em termos objetivos, portanto, a conclusão é uma só: na USP, não existe objetividade sem humanidade. 


Precisamos de um método inclusivo e participativo de gestão universitária. Nós, que subscrevemos esta proposta para a reitoria, acreditamos que os candidatos e candidatas para a reitoria e para a vice-reitoria devem ser credenciados não apenas por um programa de compromisso sério e transparente, mas também por trajetórias de vida que sejam um atestado do engajamento fraterno com as pessoas que fazem a USP ser o que ela é. É prioritário, para nós, que a comunidade tenha canais abertos para se informar, para opinar e para participar da gestão da nossa universidade. 


Tendo em vista a complexidade e as dimensões de uma instituição como a USP, é imperativo que a gestão se oriente pelo diálogo, a fim de estruturar uma administração participativa em que criatividade e planejamento sejam valores aliados, não mais rivais um do outro.

 

NOSSOS COMPROMISSOS

  1. Manter canais permanentes de diálogo com a comunidade uspiana, individualmente ou por meio dos colegiados e associações, respeitando a diversidade de opiniões e procurando construir consensos nas posições da Reitoria que reflitam de melhor forma os anseios da Universidade.
     

  2. Exercer liderança acadêmica de forma articulada com diferentes setores da sociedade, no sentido de oferecer e participar do equacionamento dos problemas sociais vigentes.
     

  3. Buscar criatividade e efetividade para construir soluções, valorizando as atividades-fim da Universidade. Valer-se de todo conhecimento produzido pela Universidade, relativo às suas atividades-fim, para identificar os melhores caminhos.
     

  4. Propor ações a partir de discussão e planejamento com diferentes sujeitos universitários para promover aperfeiçoamentos constantes e integração entre os diversos setores da Universidade.
     

  5. Considerar as demandas e os interesses dos membros da comunidade universitária, além de atender às necessidades institucionais.
     

  6. Valorizar as carreiras docentes e funcionais de modo a garantir condições dignas e adequadas ao seu exercício.